Meu primeiro amor.

02 abril 2013


— Ei, posso te perguntar uma coisa?
— Pode.
— Você não sente falta da gente?
— Claro que eu sinto. Você foi o meu primeiro amor.
— Então, eu não sou mais?
— Eu não sei se você é ou se você foi. Eu sei que eu sofri muito, chorei por várias noites, fiquei te esperando mesmo sabendo que não viria. Eu olhava no meu celular com esperanças de ter uma mensagem sua. Eu amei você da forma mais intensa que eu podia amar alguém. Mas, agora eu estou em um momento da minha vida no qual eu preciso me amar antes de amar alguém, estou em um momento no qual eu estou aprendendo a ser feliz sem precisar de ninguém. Então, dá mesma forma que você seguiu a sua vida quando me disse “adeus”, eu agora estou seguindo o meu caminho, sozinha, porém feliz. 
— Você mudou, amadureceu nesse tempo todo. Eu só me arrependo de ter sido um babaca, eu não soube dar o valor que você merecia.
— Não se culpe, tudo isso que aconteceu, serviu para que você aprendesse a dar mais valor em quem te ama. E, eu também aprendi muito. Aprendi a me amar, a me respeitar, a me aceitar da forma que eu sou. Estou tentando preencher aquele vazio que eu sinto dentro do coração.
— Vazio?
— É, um grande buraco que nós temos no coração. Mas, esse buraco não tem que ser preenchido com o amor de outra pessoa. Eu sempre errei muito, sempre achei que só seria feliz ao lado da pessoa que eu amasse, sempre achei que minha felicidade dependia de outra pessoa. Mas, eu estava enganada. O vazio que eu sinto no coração, é um vazio que precisa ser preenchido primeiramente com o amor de Deus, e depois com o nosso amor próprio, o qual nos dá vontade de lutar por aquilo que queremos.
— Nossa! Nunca havia pensado dessa forma. Eu me arrependo de ter te magoado e ter feito você sofrer. Espero que você seja feliz, que siga o seu caminho. Tomara que algum dia você possa me perdoar por tudo.
— Não se preocupe, não transformei o amor que eu sentia por você em mágoas. Eu não tenho nada pra perdoar. Você não tem culpa, é o destino que quis assim. Nós passamos muito tempo persistindo em uma relação que não iria dar certo. Foi bom enquanto durou, mas o “para sempre” sempre acaba. Eu espero que você também seja muito feliz.
— Obrigado, você me tirou um peso enorme das costas. Vou indo, tchau.
— Tchau, até mais.
O amor que ela sentia por ele era muito forte, mas o amor que ela sentia por ela mesmo era maior. Então ela decidiu reconstruir a sua vida e ser feliz. Pois, ela sabia que aquele amor só iria fazê-la chorar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário