Você é tão diferente, mas tão igual.

19 junho 2013

Eu havia trancado meu coração, desde a ultima vez, desde o dia que eu decidi não me apegar em ninguém. Mas, você apareceu. É, apareceu assim, do nada, sem aviso. Apareceu como o "aluno gato" da escola. Aquele por quem todas as meninas da escola ficavam babando e se iludindo. Mas, também, como não se apaixonar por você? Não digo apenas por esses olhos lindos, azuis, né? Olhos da cor do céu, sorriso com o brilho de uma estrela, e você sabe o quanto eu gosto de estrelas. Mas, acima de tudo um jeito diferente. Aquele jeito que sempre me encantou em alguém. Quieto, tímido, inteligente, pensamentos certos, etc. Porém, nem tudo o que reluz é ouro. Você também tem seus defeitos, poucos, mas tem.

A gente tinha tudo pra dar certo, você com suas manias bobas e eu com esse meu jeito de ser. Nós eramos como a letra e a melodia de uma música, um completava o outro. Quando você me abraçava tudo parecia tão fácil, tão simples. Quando eu olhava no fundo dos seus olhos, eu sabia que você escondia algo, um mistério. Como aqueles quebra-cabeça do qual falta a ultima peça, talvez a peça mais importante. Enfim, nós poderíamos ter dado certo, mas esse "nós" nunca passou de você e eu, você aí e eu aqui.

Talvez eu tenha idealizado muito algo que não iria acontecer. Sonhei demais, esperei demais, acreditei demais, tudo sempre em exagero. Você me conhece a pouco tempo, mas sabe que eu sou assim. Não sei sentir pela metade, não sei sentir pouco, quando eu realmente sinto é verdadeiro, é intenso. Talvez isso seja ruim, ou talvez não, depende do ponto de vista de cada um e de cada situação. Mas, enfim, como todas as vezes, vem a parte do "vamos ser só amigos". Dói, dói muito ouvir isso. Se alguém estiver lendo isso, na maioria das vezes irá concordar comigo, ou não, né. Talvez eu seja exagerada demais. Poxa, quantas incertezas você gerou em mim.

Eu nunca sonhei com um príncipe encantado. Eu nunca sonhei em morar em um lindo castelo. Nunca sonhei com um cavalo branco, nem nada disso. Sempre apreciei essas histórias, mas nunca desejei vivê-las. Talvez o problema seja: eu sempre sonhei com alguém igual a você, exatamente assim, com todas essas qualidades, com todos esses defeitos, com todas essas manias. Talvez esse tenha sido o problema, eu me apaixonei fácil demais ao te ver, ao te conhecer. Me surpreendi ao ver sua diferença, algo que me encantava. Algo que me chamou atenção. Mas, não adianta ficar escrevendo que nem uma boba apaixonada. Você não vai ler, eu tenho certeza, você nem sabe que eu tenho um blog. Ah, não te contei, né. Talvez por medo, por não querer que você leia todas as minhas bobagens. Mas voltando, você não vai ler, talvez alguém leia. Só que escrever me faz bem, é a maneira que eu encontrei de me livrar daquilo que me sufoca por dentro, sem ter que dizer pra ninguém o que sinto. Eu sempre fui orgulhosa nesse ponto. Nunca gostei de chorar na frente de ninguém, nunca gostei de me expor, nunca gostei disso, pois sei o quanto as pessoas fingem. A maioria das pessoas querem te ver lá no fundo, mas bem no fundo do poço. A alegria de muitos é ver a infelicidade alheia. Que horror!

Voltando ao foco do meu texto, ou não. Você, sempre você. Eu já sabia que você iria dizer isso, desde o primeiro momento. Mas, eu quis acreditar que não, eu quis acreditar que dessa vez seria diferente porque você é diferente. Porém, as coisas não são assim. Novamente aquela frase: "Você é linda, eu gosto de você, mas eu quero ser só seu amigo" Por mais que a frase não seja das piores, por mais que seja sincero, dói. É como o título desse texto. Você é tão diferente dos outros, tão maduro, tão especial. Mas, ao mesmo tempo você se torna tão igual quando o assunto é: amor. Eu jamais iria lhe obrigar a gostar de mim, afinal de contas isso é impossível. Não tem como fazer alguém te amar. Aliais, eu acho que implorar por amor é algo tão deprimente, tão triste, pois aonde fica o amor próprio da pessoa? Aquele que deveria ser mais importante do que todos os outros?

 Então, vou seguir esse conselho: cuidar mais de mim, me amar mais. Vou ser o amor que eu tenho quero receber, mas que eu sei que só eu posso sentir. Só eu posso preencher esse buraco que existe dentro de mim. E pode ter certeza: vai ficar tudo bem. Eu não vou ficar sofrendo, até porque eu já passei por isso outras vezes. Não vou chorar, bom, minto. Eu vou chorar sim, uma ou outra noite que eu tenha insônia por pensar em você, por questionar porque as coisas tinham que ser assim. Mas, vai passar. Os dias vão passar, os meses vão passar, os anos também vão passar. O tempo passa, uma hora aquela ferida cicatriza. Vai parar de doer. Como todas as outras feridas, esquecer você não vai. É um erro dizer que esqueceu aquela pessoa, não, você não esqueceu, só transformou o que você sentia por ela em outro sentimento. Aquela ferida aberta, cicatrizou.

Hoje a ferida está aberta, está até sangrando. Tá doendo, tá doendo muito. Se fosse a um tempo atrás eu até diria que nunca iria passar, mas vai passar. O tempo, realmente, é o melhor remédio para isso. Com o tempo a gente aprende a superar. "Superar" é a palavra que eu mais gosto, é tão bonita. Não é atoa que é o nome do meu blog. Enfim, com o tempo a ferida cicatriza, você deixa de aparecer nos meus sonhos, o foco muda. Bom, obrigada, pelo menos por alguns segundos eu fui feliz, só por poder te abraçar e me sentir segura. Mas, não se preocupa, não se preocupe comigo, tá tudo bem, ou melhor, vai ficar tudo bem. Adeus! Adeus, para esse sentimento platônico. Adeus para essa dor.

Um comentário:

  1. Caramba Leticia e forte assim???

    Thiago Chechin

    ResponderExcluir